Blog

15 mar

Cidinha Ferigoli / Sem categoria / / 1 Comment

De onde vem as imagens, que formas são essas? Essa é uma ótima pergunta. A forma está sempre suspensa. Um móbile traduz essa idéia. As gravuras têm suspensão e mobilidade. É como se, sempre, eu estivesse manuseando essas imagens pra descobrí-las. Descobrir o que estava encoberto até o momento de ser visto. Ou então a repetição, da mesma coisa, até a exaustão (em infinitos ângulos) Como um eco. Tudo começa dentro. Nada é pré-visto ou nomeado.Realmente são coisas.

 O príncipio da visualização e da elaboração das imagens é o meio digital. Segue então a preparação da matriz, das provas e as cópias definitivas (?) que serão impressas em um prelo. Digital/Prelo, gosto dessa convivência. Me parece perfeita.

Palavras? poética, pendular, rítimo, atemporal, caótico, digital, preciso, mental, emocinal, “tensional”… Uma gravura é feita de muitas, mas muitas coisas. É um mar de pedaços.